lX CONGRESO MARIOLÓGICO

settembre 17th, 2015

Iconografia de Aparecida, a Teologia da Imagem.

 1 (5)Durante os dias 10 a 13 de Setembro de 2015 participamos do lX Congresso Mariológico organizado pela Academia Marial do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. O mesmo teve abertura com a celebração eucarística, presidida pelo cardeal Dom Raymundo Damasceno, Bispo da Arquidiocese de Aparecida.

O primeiro tema trabalhado foi a Imagem de Aparecida (Imago dei: imagem e semelhança) pelo Frei Osmar Cavaca onde nos apresentou dois sentidos da imagem: o sentido Antropológico e o religioso. Em seguida tivemos conosco a palestrante Ir. Lina Boff, que trabalhou o tema sobre: A Imagem da Mulher na Bíblia, onde ela nos afirma que Maria não é filha dileta, mas sim filha predileta do pai. Maria é imagem que nos aponta a Jesus, nos leva, evoca este Pai, Maria é discípula de Jesus e a Mãe do filho de Deus por isso ela é predileta. Por tanto o filho dileto é Jesus.

No segundo dia na parte da manhã esteve conosco a palestrante Maria Inês Lopes Coutinho, museóloga, responsável da equipe que estuda sobre a origem da imagem de nossa Senhora Aparecida.  Demos continuidade a tarde, com o Padre Zezinho, SCJ.  Com o tema catequese da imagem, destaca que tudo projeta uma imagem, agora depende como projetamos essa imagem. Que imagens são imagens, coisas são coisas, Jesus e Maria são pessoas e por essa razão a imagem lembra a pessoa, mas nunca será pessoa.

Dia 12 iniciamos com o tema: a Introdução à Iconografia com o Irmão Marista, Alfonso Murad, onde ele apresentou sobre os ícones, a palavra Ícone em grego é eikón que significa: imagem de algo real. O ícone não é uma imagem religiosa, mas uma tentativa de passar uma mensagem de Deus na qual se precisa uma força de experiência, de vivencia espiritual. Dentro desta temática do ícone ele abordou o símbolo do corpo, das cores, os ícones de Maria e a crucifixão de Jesus, também ressaltou que o ícone não é pintura, mas sim escritura, e que umas das características dos escritores de ícones são a oração, jejum, contemplação e meditação.

1 (13) Finalizamos congresso com presença do palestrante Claudio Pastro, ele trabalhou a temática das transformações da imagem ao longo dos anos e explicou sobre as mudanças que estão sendo realizada no Santuário Nacional.

O encerramento do lX Congresso Mariológico deu-se com a Santa Missa presidida pelo Dom Raymundo Damasceno. Para nós, noviças participar deste congresso foi uma experiência enriquecedora, nos ajudou a compreender e aprofundar mais sobre historia e devoção a Imagem de Nossa Senhora Aparecida; assim como entender-nos o significado dos símbolos existentes no Santuário, de modo especial através da visita guiada noturna.

Somos gratas a Congregação por esta oportunidade que nos ofereceu, enriquecendo assim nossa formação mariológica.

 

Noviças: Liz Aguero, Zulema Nuñez, Vitorinha Albuquerque e Nidia Castro.

 

“Onde esta o povo que trabalha e sofre ali está a Igreja” (Scalabrini).

1 (2) Nos dias 23 e 24 de julho de 2015, esteve conosco a superiora provincial da Província Imaculada Conceição, Irmã Marileda Baggio, ela trabalhou conosco a sua tese de doutorado “Entre dois mundos: a igreja no pensar e agir de Giovanni Battista Scalabrini”; estudamos o lV e o V capítulo.

No lV capítulo fala sobre “G.B Scalabrini: um pensamento eleito que evoluiu na leitura teológica e eclesiológica de seu tempo”.
E no V sobre “Imagem de igreja derivante do pensamento de G.B Scalabrini”.

Em geral nos dois capítulos se destaca que no período de Scalabrini a igreja ainda continuava vivendo o estilo do Concilio de Trento sendo uma igreja fechada e distante do povo sofrido, uma igreja que era servida e não servidora. Mesmo Scalabrini pertencendo a este tipo de igreja ele começa a ter uma nova visão na perspectiva de uma igreja em saída, onde ele em suas visitas começa a ver e a sentir a realidade de seus paroquianos e do contexto social de sua cidade. Então a partir de essas visitas Scalabrini como figura de bom pastor começou a agir entre os surdos mudos, migrante, carvoeiros, crianças de catequeses, formação do clero; pois ele viu as necessidades de seus irmãos padres, serem bem formados para melhor servir aos fiéis.

Quando Scalabrini era ainda jovem encontrou-se muitas vezes frente a seus paroquianos que pela crise da indústria têxtil, não encontravam outra via de saída senão na migração-fuga da fome, da miséria. Sua intervenção no fenômeno das migrações se constituía em dois elementos característicos:

1. O esforço em criar uma consciência civil do problema
2. Unir forças conscientes para amenizar tais situações

1 (1)A eclesiologia Scalabriniana é fruto de um carisma dinâmico que lhe foi dado pelo espírito e que ele soube fazer frutificar na sua ação pastoral. Por tanto a igreja é o corpo de Cristo composto por muitos membros mãe e mestra.

Para nós esses dias foram muito significativos pois, tivemos uma nova visão a respeito do nosso fundador João Batista Scalabrini que a partir disso nos motivou a olharmos a Igreja do nosso tempo com novas perspectivas e nos questionarmos o que nós enquanto noviças poderemos fazer a respeito da migração e dos novos desafios que a Igreja pós moderna nos proporciona .

Nossa gratidão pela disponibilidade da Irmã Marileda e também a Congregação por nos propiciar esse tempo de formação e aprofundamento da vida e testemunho de nosso Fundador João Batista Scalabrini.
Noviças: Liz Aguero, Zulema Nuñez, Vitorinha Bernardino e Nidia Castro

africa

Com o intuito de celebrar o Ano da Vida Consagrada, centenas de consagrados e consagradas, representantes de todas as dioceses de Angola, participaram da Peregrinação Nacional da Vida Consagrada ao Santuário Nacional de Nossa Senhora da Muxima, em Angola, nos dias 18 e 19 de Julho. O evento foi organizado pela Conferência dos Superiores Maiores dos Institutos Religiosos de Angola – CSMIRA e contou com uma programação intensa de oração da Liturgia das Horas, palestras, vigílias de oração, procissão de velas, Via-Sacra, testemunhos de jubilandos/as, adoração ao Santíssimo, Celebrações Eucarísticas presidida por Dom Zacarias Kamuenho e consagração dos religiosos à Nossa Senhora.

A peregrinação foi um momento forte de oração, mas também de celebração e agradecimento a Deus pelo do m da vocação, da revitalização da Vida Religiosa em Angola e, acima de tudo, de confiar à Virgem Maria – MAMA MUXIMA (Mãe do coração) – o fervor missionário e apostólico das pessoas consagradas e dos institutos de Vida Consagrada para testemunhar Jesus Cristo com a própria vida, com perseverança e fortaleza. Foram dois dias de muitas graças!

As Irmãs Leonilda de Oliveira, Silvia Angela Cenci e Neide Lamperti participaram do evento.

 

afr

afri

II NOVINTER VALE DO PARAIBA
SEGUIR JESUS CRISTO, EM CASTIDADE.

“E há enucos que se fizeram enucos por causa do Reino dos Céus. Quem tiver capacidade de compreender, compreenda.”
(Mt 19,12)

1 (167)Nos dias 23, 24,25 de junho participamos do segundo novinter, assessorado por frei Antonio Corniatti OFM (Ordem dos Frades Menores). Estudamos sobre o seguimento a Jesus Cristo dentro do voto de Castidade, o tema foi trabalhado por frei Antonio em três partes: A necessidade urgente do estudo dos votos; A necessidade Vital e a necessidade livre; votos não é outra coisa do que sim à vocação ao seguimento; e este foi subdivido em dois subtítulos: O Celibato ou não matrimonio por causa do Reino dos Céus e Amizade na Vida Consagrada e Sui Generis; ou seja, toda própria = diferenciada.

No primeiro momento sobre a necessidade urgente do estudo dos votos vimos que certos monges nos ensinaram que os votos dizem respeito e tocam nas necessidades dentro de nós muito poderosas tão poderosas que se nós não compreendemos e assimilarmos bem pode ser causa de uma vida insatisfeita, fracassada e infeliz. Isso significa que ao emitirmos o voto de castidade não estamos por assim dizer fazendo coisa espiritual, sublime e bela, mas sim estamos-nos metendo num estilo de modo de pensar, agir, de nos ter e de nos formar, numa existência que como profissão e vocação mexem a fundo com essas necessidades do “ter”, “poder” e “prazer”.

Portanto a vida consagrada pertence ao tipo de existência humana que requer uma boa compreensão, assumida, querida e exercitada numa vontade firme e clarividente de nós mesmos para essa existência que escolhemos.
No segundo momento sobre as necessidades vital e livre, vimos que no ser humano a necessidade vital é tudo quanto precisamos naturalmente para sustentação de nossa vida física. Ex. Comer, beber, respirar,…. etc. Já na necessidade livre, ela é o impulso, o vigor, a vigência de uma forma de transcendência, essa forma quer mais, quer o melhor, a excelência. Essa força de transcendência não é natural como à necessidade vital, não é espontânea, não nasce, cresce e se consume instintivamente. Isto é, ela é livre no conhecer e no querer.

O Terceiro momento foi sobre o voto como Sim a vocação no seguimento, onde frei Antonio afirmou que: vocação não é dom, nem talento, nem inclinação, mas simplesmente chamamento. Chamamento que vem de Jesus Cristo. Nessa dinâmica da vocação, vimos o celibato e o “não” Matrimonio por causa do Reino dos Céus e que em ambos há um estilo próprio de vivê-los. No sim matrimonio: há uma só carne, comunhão afetiva, exclusividade, família. No “não” Matrimonio = distancia; renuncia; pobreza; sobriedade, fraternidade e comunidade.
No aspecto da Amizade na vida Consagrada foi colocado que a Amizade é vivida a partir do fraternismo, assim, para o convívio fraterno e comunitário na vida consagrada se acentua muito o cultivo da afetividade de coração, do sentimento. Portanto, a essência e o centro gerador de união de uma fraternidade é essa afeição cultivada nas amizades e em todos os nossos relacionamentos fraternos, relacionando-nos com alma de irmãos, não querendo mudar o outro e aceitando-os como são.

Diante disso, agradecemos a oportunidade que nos foi dada, pela congregação que nos permitiu participarmos mais uma vez desse encontro que nos enriquece, tanto intelectualmente, espiritualmente, assim como mantém nos nessa unidade comunitária.

 

CLICK

FORMANDAS SCALABRINIANAS A CAMINHO

10565039_1082187621795351_4941612967469053879_nNo dia 16 de junho iniciou o encontro de formação com as Postulantes e Noviças e no mesmo teve como preparação e abertura a celebração Eucarística presidida por Pe. Nelson Ferreira as 06h30min. Foram três dias de formação com orientação de Ir. Zenaide Martins de Oliveira, estudamos sobre Auto conhecimento, etapas do desenvolvimento da afetividade e sobre Autoestima, onde foi dinamizado trabalhos individuais e grupais, assim proporcionando a integração do grupo e a partilha de todas em cada tema desenvolvido.
No dia 19 iniciamos o retiro que foi orientado por Ir. Maria Clélia Alves e neste dia integrou-se ao grupo a Aspirante Polyana e sua Mestra Ir. Gilda. No primeiro dia de retiro rezamos sobre a Criação e amor de Deus para conosco e no segundo dia, sobre o Sagrado Coração de Jesus trazendo presente as devoções de nosso Fundador e Co-fundadores, esses dias foram enriquecedores, pois tivemos a oportunidade de apreciar o mistério de Deus em nossas vidas, assim como um encontro conosco mesmas e com o criador que nos ajudou a confirmar o chamado que Ele nos fez e de seu Amor por cada uma de nós.

11060932_1084036641610449_7550659702000853881_n
Concluímos o retiro no Sábado celebrando o aniversario de Ir. Maria Clélia e com a celebração Eucaristia da 12ª Peregrinação Scalabariniana feita como conclusão da 30ª Semana Nacional do Migrante no Santuário Nacional Nossa Senhora Aparecida, com presença de padres, seminaristas, leigos(as), Missionárias Seculares, Irmãs e formandas Scalabrianianas. Por tudo Deo Gratias!

 

Liz Aguero
Nidia Esperança
Vitorinha Albuquerque
Zulema Beatriz Gonzalez

NOVIÇAS ESTIVERAM PRESENTE NO 17º ENCONTRO NACIONAL DE CANTO PASTORAL COM FORMAÇÃO LITÚRGICO 2015

1 (10)Participamos do encontro nos dias 05 aos 07 de Junho, em Aparecida SP, com o tema: Alegrai-vos no caminho da musica há 45 anos! Em homenagem a Ir. Miria Terezinha Kolling por seu empenho no canto pastoral na Igreja, com a colaboração da Ir. Idê Cunha e Adenor Leonardo Terra que deram sua contribuição no estudo da formação litúrgica; baseado no estudo 79 da CNBB e na Introdução do Missal Romano.

Para nós noviças estes três dias foi um momento privilegiado de conhecer e aprofundar os cantos adequados para cada tempo litúrgico. O canto não é algo a parte da liturgia, mas sim é o complemento da liturgia onde é um sinal sensível da ação de Deus e ajuda o povo a rezar; podemos comparar a liturgia a uma grande sinfonia. Em cada canto da Ir. Miria percebemos que cada composição sua foram inspiradas por fatos da vida real, de suas experiências de vida, e, no entanto inspiradas também nas palavras do Papa Francisco, a partir do documento Alegrai-vos. Cada canto que ela cantava, antes ela explicava a inspiração do canto, is

1 (1)-3so foi muito enriquecedor.

No terceiro dia participamos do coral, com a regência da Ir. Miria e Adenor no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Essa experiência foi marcante, pois unidas a todos os integrantes do curso, vivenciamos uma ação concreta em comunhão com os cantos da Ir, Miria Kolling.

Agradecemos as pessoas que fizeram possível este encontro e a congregação por oportunizar-nos este momento rico para nossa formação.

Noviças: Zulema Nuñez, Vitorinha Albuquerque, Liz Aguero, Nidia Castro.

IMG-20150215-WA0006Mancano poche ore all’entrata in noviziato delle novizie Liz, Zulema, Nidia e Vitorihna; la celebrazione del rito per l’entrata in noviziato avverrà alle ore 18.00 (ora brasiliana), alle ore 21 (ora italiana), alle ore…..(ora americana).

Oggi inizia il nuovo progetto congregazionale del NOVIZIATO S. CARLO, America Latina e Caraibi, con sede a Potim, San Paolo – Brasile.

“Vieni e Seguimi” ha detto alle giovani Gesù, le neo novizie si sono fidate della voce del Maestro; hann…o corso verso la meta che è una scelta determinata di Lui, il Signore.

Condividono la gioia del loro si con la maestra sr. Cristina e le consorelle sr. Rosa Maria e sr. Roselì.

La Madre Generale, sr. Neusa de Fatima Mariano, ha donato la sua presenza, parteciperà al rito con il governo provinciale della Provincia Nostra Signora Aparecida.

Tutta la Congregazione gioisce ed è presente con la preghiera e l’affetto.

Avanti novizie.

IMG-20150215-WA0001

IMG-20150215-WA0005

IMG-20150215-WA0002

       ”Sono arrivate a Roma sr. Andri Villas Boas, di nazionalità brasiliana, sr. Catherine Petalcurin di nazionalità filippina e sr. Stella Joseph di nazionalità indiana per integrare la comunità dello juniorato congregazionale. Oggi hanno condiviso con la Superiora Generale e le Consigliere Generali, oltre che con la comunità di casa generalizia, i primi passi della vita in Italia. Si può viaggiare per tanti motivi, per infiniti interessi, per ampliare le proprie conoscenze, per ritrovare se stessi, per cercare un contatto diretto con la natura, con la gente, e per innumerevoli altri casi. Le nostre tre giovani consorelle, insieme a sr. Ana Paula Rocha la loro responsabile sono partite per prepararsi ai voti perpetui, per partecipare al progetto congregazionale, sono partite per vocazione missionaria. Auguriamo ad ognuna di loro di essere aperte ai segni che il Signore vorrà loro indicare per crescere vocazionalmente e scalabrinianamente. Per sr. Ana Paula invochiamo la lice dello Spirito Santo perché sia una mediatrice del Signore. Benvenute, Welcome, Bem-vindas! “

IMG_5857

IMG_5859

IMG_5865

IMG_5869

IMG_5870

IMG_5872

In cammino verso Te …

settembre 16th, 2013

Siamo due giovani albanesi, Mariana e Loreta. Siamo entrambe di Scutari. Le nostre famiglie sono cattoliche, in esse abbiamo ricevuto e coltivato la fede, educate fortemente in essa, prima dai genitori e poi in parrocchia, dove abbiamo partecipato da sempre. La nostra vocazione ha preso coscienza e ha iniziato a germogliare qualche anno fa, quando abbiamo cominciato a partecipare agli incontri di “Vieni e vedi”, promossi nelle comunità di Stajka e di Juban, che le nostre Suore organizzano per le giovani. Abbiamo fatto l’entrata a Juban e in comunità la nostra vocazione ha cominciato a crescere, accompagnate da una  giovane suora che ha saputo condurci  ai valori più grandi, nella semplicità della vita e nella verità del Vangelo. A parte la nostra formazione umana e cristiana, ci hanno aiutato nel discernimento anche le varie attività a cui abbiamo partecipato. Il catechismo con i bambini e con i giovani, come pure i gruppi di preghiera, ci hanno permesso di aprirci di più al Signore e al prossimo. Anche il confronto con le altre giovani che fanno lo stesso cammino, come il gruppo delle aspiranti nella Diocesi di Scutari, ci ha rafforzate di più nella nostra scelta, e i vari incontri ci hanno aiutato a maturare. Le esperienze fatte in Francia, in Portogallo e a Foggia in mezzo ai migranti più poveri ed emarginati ci hanno dato una visione più ampia del carisma che ora vogliamo approfondire con il cammino del noviziato.

Per chi volesse contattarci:

Loreta Palushani

Marjana Gjeçaj
con la nostra formatrice Sr. Thérèse Mwamba

theresamsca@gmail.com